Mercadante e presidente evitam constragimento

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) fizeram o possível ontem para evitar que o clima de constrangimento tomasse conta de seu primeiro encontro público desde que o líder petista ameaçou deixar o comando da bancada no Senado, na semana passada. Ao cumprirem agenda em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, o presidente e o senador até ensaiaram algumas poucas brincadeiras. Mas não demonstraram a habitual intimidade esperada de dois velhos amigos. Em geral brincalhões um com o outro, Mercadante e Lula falaram-se pouco. No primeiro ato da agenda, o lançamento da pedra fundamental de um campus da Universidade Federal do ABC, Lula só mencionou o líder petista em seu discurso ao agradecer o empenho na aprovação no Senado do projeto que permitiu a criação da universidade. Mas a mesma atenção foi dispensada ao ex-deputado Professor Luizinho, encarregado do mesmo trabalho na Câmara. Na saída, os dois cumprimentaram-se rapidamente. No segundo evento, foi Mercadante quem socorreu Lula quando ele tentava descobrir, em meio aos pronunciamentos, como a imprensa havia divulgado o discurso que acabara de fazer no evento anterior. Mercadante lhe mostrou as notícias em seu smartphone. Uma frase confusa acabou levando o presidente a esclarecer o que queria dizer. E, ao pedir aos jornalistas que retificassem a informação, Lula brincou com a febre do Twitter, microblog do qual Mercadante é um adepto entusiasmado. "Apenas para consertar aí. Vocês vão rapidinho ali na internet, naquele tal de Twitter, em que coloca mensagens, por favor coloquem suas mensagens rapidinho. Aloizio já pode colocar no dele, Aloizio."A plateia logo caiu na risada. Foi justamente pelo Twitter que Mercadante anunciou que deixaria a liderança do PT "em caráter irrevogável". E, depois de um encontro com Lula, voltou atrás e anunciou sua permanência no cargo. Lado a lado no debate, Lula e Mercadante conversaram algumas vezes. Mas, em alguns momentos, o senador parecia de fora da conversa entre Lula e o prefeito de Santo André, José Auricchio Júnior (PTB), mesmo sentado entre os dois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.