José Cruz/Agência Brasil - 17.04.2013
José Cruz/Agência Brasil - 17.04.2013

Mercadante diz que não será candidato ao governo de SP em 2014

Petista tinha apoio da sigla, mas preferiu continuar à frente da pasta por considerar área 'estratégica' do País

Lisandra Paraguassu - O Estado de S.Paulo - ampliado às 17h30

26 Abril 2013 | 17h14

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, não é mais pré-candidato ao governo do Estado de São Paulo. A avaliação, segundo ele, é de que será mais útil à frente da Pasta da Educação. "Eu considero a educação a grande prioridade estratégica do País. Eu ficando, também demonstro essa prioridade. Temos que demonstrar essa prioridade com atitudes concretas", afirmou o ministro nesta sexta-feira, 26.

A decisão, de acordo com ele, foi tomada na viagem que fez a Roma, junto com a presidente Dilma Rousseff, em março, para a missa inaugural do Papa Francisco. Depois disso, chegou a se reunir com Dilma, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do PT, Rui Falcão, em São Paulo. Os três, segundo ele, lhe disseram que, se ele quisesse, seria um candidato de consenso do partido. Mas ele já tinha tomado a decisão de continuar como ministro.

Nesse encontro, também pediram para que ele pensasse mais no assunto e não fizesse logo o anúncio. Mas, Mercadante disse que não viu mais sentido nisso porque sua decisão já está tomada e o PT pode ficar à vontade para buscar outro nome de consenso para as eleições de 2014.

A definição para a disputa eleitoral em São Paulo vem sendo discutida por Dilma e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além de Mercadante, o nome do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, também já foi cogitado e contaria com a simpatia de Lula.

Mais conteúdo sobre:
Mercadante eleições 2014 governo de SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.