Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Mercadante deve ir para a Ciência e Tecnologia e Sérgio Côrtes, para a Saúde

Presidente eleita reuniu-se pela manhã com membros da equipe de transição - Antonio Palocci, José Eduardo Dutra - e o vice, o deputado Michel Temer (PMDB-SP)

Marta Salomon, Agência Estado

30 de novembro de 2010 | 13h34

A Agência Estado apurou que o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) é mesmo forte candidato a assumir a pasta da Ciência e Tecnologia, no lugar do atual ministro Sérgio Rezende, que é indicado pelo PSB. Os socialistas, liderados pelo governador Eduardo Campos, de Pernambuco, devem ganhar duas pastas: a da Integração Nacional e do Turismo. Mercadante, que fica sem mandato a partir de fevereiro próximo, foi candidato ao governo do Estado de São Paulo e perdeu a disputa para o tucano Geraldo Alckmin por menos de 200 mil votos.

 

Sérgio Côrtes, que dirige a saúde do Rio de Janeiro e pode ser considerado um dos 'pais' das Unidade de Pronto Atendimento (UPAs), foi o nome indicado pelo governador Sérgio Cabral para substituir o atual ministro José Gomes Temporão - que também representava o Rio no ministério Lula, mas não era visto como uma escolha do PMDB. Pelo trabalho desenvolvido no Rio, de atenção à saúde básica, Dilma tende a escolher mesmo Côrtes para o ministério.

 

A presidente eleita reuniu-se pela manhã com membros da equipe de transição - Antonio Palocci, José Eduardo Dutra - e o vice, o deputado Michel Temer (PMDB-SP). Depois de definir a equipe econômica - Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento) e Alexandre Tombini (BC) - e a chamada 'cozinha do Planalto' - Antonio Palocci (Casa Civil), Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência) e Alexandre Padilha (Relações Institucionais), nomes que ainda não tiveram a escolha oficializada , Dilma está agora abrindo as negociações para compor a parte do ministério que incluirá os aliados dos partidos da coligação vitoriosa na campanha presidencial de outubro passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.