Mercadante anuncia prefeito de Osasco para comandar sua campanha

Emidio de Souza pretendia disputar o governo, mas desistiu em favor do senador; Edinho Silva, presidente do PT-SP, cuidará da relação com siglas aliadas

Clarissa Oliveira, de O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2010 | 21h04

Ao falar pela primeira vez como pré-candidato ao Palácio dos Bandeirantes, o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) anunciou nesta quarta-feira, 8, os dois primeiros nomes que vão compor a coordenação de sua campanha. Confirmando as expectativas, o comando geral da equipe ficará a cargo do prefeito de Osasco, Emidio de Souza. Já o presidente do PT-SP, Edinho Silva, vai liderar um conselho suprapartidário, que cuidará da relação com siglas aliadas.

 

Mercadante, que até agora vinha evitando falar abertamente sobre temas relacionados à candidatura,  justificou a escolha de Emidio pelo trabalho realizado por ele na Prefeitura de Osasco e a sua disposição em se dedicar integralmente à construção de um projeto alternativo no Estado.

 

“Emidio está em seu segundo mandato, tem índices de avaliação muito bons e possui todas as condições de se dedicar amplamente à montagem desse projeto”, disse Mercadante. O prefeito concordou, por exemplo, em se licenciar do cargo no auge da corrida eleitoral, para se dedicar exclusivamente à campanha.

 

A equipe que começa a ser montada por Mercadante terá como primeira tarefa amarrar uma chapa capaz de agradar a todos os partidos da coligação e, ainda assim, deixar aberta uma porta para eventual composição com o PSB. Um dos imbróglios se refere à indicação do nome que será lançado na disputa pelo Senado, ao lado da ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (PT). O PC do B indicou o nome do vereador Netinho de Paula para a vaga, mas o PT resiste em selar desde já um acordo.

 

“Precisamos amarrar esse quadro, mas queremos ter a certeza de que não vamos fechar uma porta para o PSB”,  justificou Emidio, reconhecendo que parte da demora reflete a indefinição sobre o destino político do deputado Ciro Gomes (PSB).  “Mas vamos encontrar uma solução de consenso”, emendou.

 

Emidio foi o primeiro petista a anunciar sua pretensão de concorrer ao Palácio dos Bandeirantes. Com bom trânsito na legenda, mas sem um desempenho significativo nas pesquisas, ele acabou  preterido na disputa.

 

As pré-candidaturas de Mercadante e Marta só  serão anunciadas  oficialmente  no próximo dia 24. Para a ocasião, o PT preparou um encontro estadual, nos mesmos moldes do Congresso Nacional que lançou em fevereiro a pré-candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.