Mensalão: Justiça adia depoimento de defesa para junho

A 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo alterou no fim da tarde de hoje as datas de alguns depoimentos de testemunhas de defesa no processo que apura a suposta venda de votos no Congresso, dentro do esquema conhecido como mensalão. O depoimento do ex-deputado petista Luiz Eduardo Greenhalgh, previsto para amanhã, foi transferido para 3 de junho. O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (atual secretário estadual de Desenvolvimento) e o ex- ministro da Fazenda Mailson da Nóbrega vão depor no dia 4 de junho.

AE, Agencia Estado

25 de maio de 2009 | 19h45

Na tarde de hoje, a Justiça Federal começou a ouvir as testemunhas da ex-vice-presidente do Banco Rural Ayana Tenório, acusada de formação de quadrilha e gestão fraudulenta à frente da instituição bancária. Também foram ouvidas testemunhas de defesa do sócio da corretora Bônus-Banval Breno Ficherg, acusado pelos mesmos crimes.

Serão testemunhas nos próximos dias o uruguaio Najun Azario Flato Turner; os publicitários Nelson Biondi e Nizan Guanaes; o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos; o deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP); o secretário extraordinário para Reformas Econômico-Fiscais, Bernard Appy; o jornalista Ricardo Kotscho, ex-secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República; e o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira.

Mais conteúdo sobre:
mensalãoJustiçadepoimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.