Mensalão: juiz retira Adauto de processo por improbidade

Na mesma decisão em que excluiu o nome de José Dirceu, ex-ministro-chefe da Casa Civil e deputado cassado, do processo de improbidade administrativa que corria na Justiça, o juiz Alaôr Piacini, da 9.ª Vara da Justiça Federal de Brasília, decidiu também retirar do processo o nome do ex-ministro dos Transportes Anderson Adauto. O processo é referente ao caso que ficou conhecido como mensalão e atingiu o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2005, com denúncias de corrupção.A decisão do juiz foi baseada na determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) de que um ministro de Estado, como Dirceu e Adauto eram na época das acusações, não deve responder pelo crime de improbidade administrativa de acordo com a Lei de Improbidade e em primeira instância, mas sim de acordo com a Lei de Crime de Responsabilidade e no STF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.