Mensalão: Jefferson quer arrolar Lula como testemunha

O ex-deputado federal Roberto Jefferson disse que vai arrolar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva como sua testemunha quando apresentar defesa no processo aberto pelo Supremo Tribunal Federal para julgar os envolvidos com o mensalão, no qual é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A intenção foi tornada pública em entrevista hoje à Rádio Gaúcha. "Eu vou arrolar como testemunha para mim o presidente Lula. Se o procurador não teve peito para denunciar o Lula, eu vou relembrar a ele do diálogo que nós tivemos", anunciou, referindo-se a uma conversa que teve com o presidente da República em 2005, antes do escândalo eclodir, na qual informou a Lula da existência do mensalão. "Tem coisas que eu não disse", informou Jefferson, que passou a criticar o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, autor da denúncia, por tê-lo incluído entre os réus. "Como ele foi nomeado pelo Lula duas vezes, me envolveu nisso para eu me calar", acusou. "Mas eu não vou parar", prometeu. A atual postura de Jefferson é diferente daquela adotada em 2005, quando acusava o ex-ministro José Dirceu de comandar o esquema e pedia que ele saísse do governo para não prejudicar um inocente, no caso Lula. "Se compravam votos no Congresso para beneficiar o governo, não era o Dirceu que ganhava, era o Lula", afirma agora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.