Mensalão confronta Serra e Haddad em debate na TV

O julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que condenou lideranças do PT, como o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente nacional da sigla José Genoino, foi o mote utilizado pelo candidato do PSDB, José Serra, para confrontar o adversário do PT, Fernando Haddad, no início do segundo bloco do debate dessa sexta-feira (26), na TV Globo, pois o tema sorteado foi corrupção.

BEATRIZ BULLA E ELIZABETH LOPES, Agência Estado

27 de outubro de 2012 | 00h06

Na pergunta, José Serra disse que esse escândalo desviou um montante de cerca de R$ 200 milhões, recursos que dariam para construir 400 Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs) em São Paulo. "É tirar dinheiro do povo", criticou o tucano. Na resposta, Haddad disse que seu partido, o PT, defende apuração dos fatos e citou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi quem nomeou boa parte dos juízes que estão julgando o mensalão. "Você vem me falar de valores, mas o único funcionário que você nomeou para a Prefeitura, Hussain Aref Saab, angariou esse valor todo em imóveis apenas na cidade de São Paulo, com salário de servidor", acusou Haddad.

Ainda na discussão sobre o julgamento deste processo no STF, Haddad invocou o chamado mensalão mineiro. "Tudo isso começou em Minas Gerais com o PSDB", acusou o petista, afirmando ainda que o "mentor intelectual disso tudo foi o (ex) presidente do seu partido (PSDB), Eduardo Azeredo". "Infelizmente, o processo dele por crimes anteriores será julgado apenas posteriormente", disse Haddad.

O petista também provocou Serra, dizendo que ele foi da cúpula do PSDB ao longo dos últimos anos, cargo que ele jamais ocupou no PT. Haddad disse, ainda, que em 12 anos de vida pública não tem insinuações ou acusações sobre sua carreira. "Nem você em 60 dias de campanha foi capaz de me atacar na honra, você sabe da minha conduta", cravou. O petista lembrou que cursou Direito e que vê as instituições (Judiciário) funcionarem hoje em dia "doa a quem doer". "Não finja que não sabe do que aconteceu em Minas Gerais, Serra", alfinetou.

O tucano respondeu que o que a população sabe sobre Minas Gerais era da condenação do petista e ex-ministro José Dirceu. "O resto a Justiça vai mostrar. Se havia algo errado lá, pior ainda é quem copiou", retrucou Serra.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPdebatemensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.