Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Menos de um mês após deixar governo Dilma, Kassab se diz 'motivado' no ministério de Temer

O presidente em exercício Michel Temer reunirá os ministros na manhã desta sexta-feira, no Palácio do Planalto. Em seguida, cada titular iniciará as novas funções nos ministérios. Menos de um mês depois de deixar do Ministério das Cidades do governo Dilma Rousseff, o ex-prefeito de São Paulo e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, assumiu a pasta que fundiu Ciência e Tecnologia e Comunicações da gestão de Michel Temer e se disse "motivado" para a nova função.

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2016 | 21h20

"Sou ministro de Estado, a questão é institucional. Tenho respeito pela presidente Dilma. Meu partido, do qual sou presidente, se posicionou de maneira muito clara (a favor do impeachment de Dilma). Do ponto de vista institucional, com o governo do presidente Temer, ele houve por bem, e o partido também, de definir esse convite. Sinto bastante motivação para desempenhar o papel nesse ministério", afirmou. "Vamos compor a equipe, definir prioridades de curto, médio e longo prazo e fazer a fusão com muito cuidado. É um ministério extremamente técnico."

O novo ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que a logística e a segurança dos Jogos Olímpicos, que acontecem em agosto, no Rio, são a prioridade de sua gestão, neste momento inicial. "O primeiro passo é a Olimpíada. Tem muita coisa para cuidar, mas a Olimpíada está em cima", afirmou. Jungmann encontrou por acaso no elevador do Palácio do Planalto o líder evangélico Silas Malafaia. "Deus te abençoe", disse Malafaia depois de abraçar o ministro. "Vamos precisar", respondeu Jungmann.

Titular da Educação, Mendonça Filho saiu da solenidade da posse dos ministros e seguiu para a sede do ministério, onde se reuniu com o secretário-executivo interino, Luiz Claudio Costa, e com a futura secretária-executiva, Maria Helena Guimarães de Castro, que ocupou o mesmo cargo no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A socióloga foi secretária de Educação do Estado de São Paulo, no governo do tucano José Serra. Também coordenou as propostas para a área no programa de governo do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que perdeu para a presidente afastada Dilma Rousseff a disputa presidencial de 2014. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.