Menores: relator da ONU vai sugerir reforma das polícias

O relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU), Juan Miguel Petit, que está no Brasil para fazer um diagnóstico da exploração sexual infantil, vai defender em seu relatório uma ampla reforma das polícias, a criação de delegacias e varas especializadas para investigar crimes contra crianças e adolescentes e maior participação das defensorias e dos ministérios públicos. Petit afirmou ter decidido visitar o Brasil porque o País vive um "momento crucial na elaboração de um novo modelo de política social". O relatório com suas recomendações será apresentado em Genebra, durante a 60.ª sessão da Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas, em março. Além do Rio, Petit já visitou Brasília, Belém, Salvador e São Paulo. O relator disse que identificou redes de crime organizado vinculadas ao narcotráfico e ao poder público, especialmente às polícias. E também casos de aliciadores que estabelecem uma relação pseudo-afetiva com crianças miseráveis que não têm outro meio de sobreviver. Ele destacou a "situação de exclusão" em que vive grande parte da população brasileira. "Há bairros inteiros, cidades, onde não chegam escolas, não chegam notícias, não chega a polícia, onde não chegam os serviços sociais básicos?, disse. O relator também teve um encontro com o superintendente da Polícia Federal no Rio, Roberto Precioso, que apresentou a Petit o Núcleo de Prevenção ao Crime pela Internet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.