Menina de 1 ano morre à espera de atendimento

Uma menina de um ano da etnia ticuna morreu de hidrocefalia no último domingo na Casa de Saúde do Índio (Casai), em Manaus. A Casai foi criada para ser uma casa de passagem de indígenas que chegam à capital para tratamento médico especializado. Mas, segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), vários índios já ficaram lá até um ano e meio à espera de atendimento. A assessoria da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) não retornou os telefonemas da reportagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.