Mendes vai levar ao STF questão sobre novos partidos

Ministro disse nesta terça que irá levar o caso aos demais magistrados do Supremo no plenário para deciderem sobre suspensão de projeto contra novas siglas

Débora Bergamasco - O Estado de S. Paulo

30 Abril 2013 | 20h17

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes afirmou nesta terça-feira, após encontro com parlamentares de oposição, que vai levar ao pleno da Casa a apreciação do mérito do mandado de segurança impetrado pelo senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), que suspendeu a tramitação do projeto para restringir a criação de novos partidos políticos.

Após o encontro, Rollemberg afirmou ter saído satisfeito da conversa e reiterou que, na opinião de alguns parlamentares como ele, "o Supremo é o guardião da Constituição Federal e cabe a ele dar a última palavra em matéria constitucional".

O senador tucano Álvaro Dias (PSDB-PR) defende que os impasses no Legislativo sejam resolvido no parlamento, "mas neste caso havia urgência: um projeto casuístico, oportunista, com favorecimento indevido a um dos lados em disputa e não haveria tempo para aguardar a solução desse impasse no Legislativo"''.

Para o senador Pedro Taques (PDT-MT), a questão não é caso para tanto alarde. "O Supremo cumpriu seu papel constitucional, porque esse pseudo processo legislativo é uma farsa, não houve intromissão." Já o senador Randolfe Rodrigues (Psol-AC) avisou que, caso o pleno do Supremo decida pela continuidade no andamento do PLC, a oposição trabalhará para derrubá-la no Senado.

Mais conteúdo sobre:
Novos partidos STF

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.