Membros da OAB do ES voltam a receber ameaças de morte

Conselheiros e diretores da seccional Espírito Santo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) voltaram a receber ameaças de morte, um dia depois da decisão do procurador Geral da República, Geraldo Brindeiro, de arquivar o pedido de intervenção federal no Estado. As ameaças foram comunicadas ao presidente da OAB nacional, Rubens Approbato. "Quero saber quem é que vai cuidar deles. Quem vai assumir a responsabilidade de proteger a vida dessas pessoas. E, caso alguma coisa aconteça, alguma ameaça se concretize, quem vai ser responsabilizado", indagou Approbato.O pedido de intervenção federal no Espírito Santo foi feito pela OAB, devido às suspeitas de infiltração do crime organizado nos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. Dois fatos ocorridos em março deste ano funcionaram como estopim para que o pedido fosse feito: o assassinato do advogado Joaquim Marcelo Denadai e ameaças de morte feitas ao presidente da OAB capixaba, Agesandro da Costa Pereira. ProvidênciasApprobato informou que vai pedir providências ao novo ministro da Justiça, Paulo de Tarso Ramos Ribeiro. "Assim que ele assumir efetivamente o cargo, vou conversar com ele", disse Approbato. Segundo ele, as ameaças ocorreram na tarde de hoje, através de ligações telefônicas para o escritório da OAB do Espírito Santo e também para a casa de vários conselheiros. "Pelo que me foi informado, a maioria das dos dirigentes e conselheiros recebeu ligações telefônicas com ameaças de morte", revelou.Os nomes das pessoas ameaçadas, no entanto, não foram revelados por Approbato. "Não quero que elas sejam mais ameaçadas ainda", considerou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.