Mello critica uso de presos para investigar criminosos

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, criticou hoje a estratégia adotada em São Paulo de retirar presos da cadeia e infiltrá-los em quadrilhas com o suposto objetivo de investigar grupos criminosos. "A prática não é harmônica com o nosso ordenamento jurídico e contraria o princípio segundo o qual cumpre ao Estado preservar a integridade física e moral dos presos", afirmou. "Coagir-se um preso a ser um delator mediante a retirada da cadeia e infiltração em uma quadrilha é passo demasiadamente largo que as autoridades constituídas não podem dar", acrescentou. "A polícia tem de investigar, mas não pode usar esses subterfúgios visando alcançar a elucidação de um crime", concluiu Marco Aurélio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.