Meirelles cogita vaga de vice na chapa de Dilma

Segundo chefe do PMDB goiano, não interessa ao presidente do BC disputar o governo de Goiás

João Domingos, de O Estado de S.Paulo,

25 de setembro de 2009 | 19h50

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, não está mais interessado em disputar o governo de Goiás. Mesmo não descartando a priori nenhuma alternativa política, ele prefere ficar de prontidão para a vaga de vice-presidente na chapa da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) ou para disputar uma das vagas do Estado para o Senado. Esse foi, segundo o presidente interino do PMDB goiano, Adib Elias, o teor da conversa de uma hora e meia que teve nesta sexta-feira, 25, com Meirelles, em Goiânia, quando foi acertada a filiação do presidente do BC ao PMDB.

 

De acordo com Elias, a filiação ocorrerá ou na terça, 29, ou na quarta-feira, 30 - o mais provável é que seja na quarta. A cerimônia ocorrerá na sede do PMDB de Goiás, que fica no Setor Aeroporto, área central de Goiânia. Havia a possibilidade de a filiação se dar em Brasília, mas o próprio Meirelles quis que ocorresse em Goiânia, para prestigiar o partido, disse Adib Elias, ex-prefeito de Catalão.

 

Meirelles decidiu também que antes de assinar a ficha de filiação ao PMDB vai comunicar sua decisão ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na segunda-feira. Os dois não têm reunião marcada. De acordo com a assessoria de Lula, a conversa pode se dar por telefone, embora nem seja necessária, pois o presidente já sabe da intenção de seu ministro que comanda o Banco Central. Os dois devem viajar no mesmo avião, no dia 30, para Copenhague, para a reunião do Comitê Olímpico Internacional (COI) do dia 2, quando será anunciada a sede oficial das Olimpíadas para 2016. A cidade do Rio de Janeiro é candidata a sede.

 

Meirelles tinha convites para se filiar a vários partidos. Entre eles, o PP do governador Alcides Rodrigues, o PRB do vice José Alencar, o PR do líder Sandro Mabel (GO) e o PTB do ex-deputado Roberto Jefferson (RJ). "Isso dá a Meirelles a possibilidade de vislumbrar um voo mais alto no plano nacional", disse o presidente do PMDB goiano.

 

O presidente do BC esteve na noite de quinta-feira, 24, com o governador Alcides Rodrigues, numa cerimônia realizada num clube de Goiânia. Pelo relato de políticos goianos, Meirelles aproveitou o encontro para agradecer a Alcides o convite feito para que ingressasse no PP. E anunciou as razões que o levaram a optar pelo PMDB.

 

Quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou Meirelles para governador de Goiás, tendo assim um nome forte para derrotar o senador tucano Marconi Perillo, acabou por arrumar um problema com o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, que é do PMDB e é apontado como o favorito na eleição para o governo de Goiás. Passado o mal-estar, o próprio Iris fez o convite para Meirelles. Numa entrevista a uma rádio de Goiânia, o prefeito disse que recebe Meirelles de braços abertos.

 

Meirelles teve ainda na tarde desta sexta encontro com o prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela, presidente licenciado do PMDB. Falou de sua decisão. Ele vai ficar todo o fim de semana em Goiânia para contatos políticos.

 

Veja também:

linkEm Goiás, Meirelles acerta detalhes de filiação ao PMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.