Meirelles avisa a Temer que se filiará ao PMDB

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, decidiu entrar no PMDB. O ato está agendado para terça-feira, porque no dia seguinte ele viajará para Copenhague. A decisão foi tomada ontem, durante o almoço com o presidente da Câmara, Michel Temer (SP), que é presidente licenciado do PMDB. A filiação vai ocorrer às vésperas do encerramento do prazo - dia 3 de outubro - para quem deseja se candidatar nas eleições de 2010.

AE, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 09h33

Foi o presidente Luiz Inácio Lula da Silva quem havia lançado Meirelles ao governo do Estado para se contrapor ao senador tucano Marconi Perillo (GO). Mas o gesto contrariou o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, que pretende disputar a eleição, forçando Temer a agir imediatamente.

O presidente da Câmara ligou para Iris, dizendo que tivera uma conversa "muito boa" com Meirelles e que ouvira dele que, ao se filiar, só quer somar e não dividir. Resolvido o mal-estar provocado por Lula, o próprio Iris convidou Meirelles para o PMDB. "Está tudo sendo muito bem costurado com o prefeito Iris Rezende", disse o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). Ele considera que o ingresso do Meirelles no PMDB "vai levar muita qualidade ao partido, por ser uma personalidade importante, vitoriosa e com muita boa imagem no País inteiro".

Consultada a assessoria do BC disse que "o presidente Henrique Meirelles não decidiu ainda se vai ou não se filiar". E acrescentou que "essa decisão só acontecerá na próxima semana". Ao se filiar ao partido que é o aliado principal do Planalto e do PT para a disputa da sucessão presidencial, Meirelles fica cotado para a eventual indicação como vice da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, a pré-candidata do governo Lula.

Meirelles terá hoje duas reuniões políticas importantes em Goiânia. Na primeira, pela manhã, ele conversa com o presidente interino do PMDB local, Adib Elias, ex-prefeito de Catalão. Vai falar sobre a sua decisão de entrar no partido. À tarde o presidente do BC tem encontro com o prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela, presidente licenciado do PMDB goiano.

Assim, ele cumpre as formalidades com as lideranças nacionais e estaduais do PMDB. No início do mês, já havia conversado com a bancada de deputados federais goianos. No domingo passado, foi a vez da bancada estadual. Meirelles teria ainda ontem à noite reunião com o governador Alcides Rodrigues, do PP, no Clube Ferreira Pacheco. Rodrigues havia convidado Meirelles para o seu partido. Outras três legendas também ofereceram vaga para ele: o PRB do vice José Alencar, o PR e o PTB.

A filiação de Meirelles ao PMDB não o torna obrigatoriamente candidato a algum cargo, mas lhe dá a garantia de que já tem um partido para concorrer. O governo e o PMDB trabalham com três hipóteses de candidatura: o Senado, o governo do Estado ou o posto de vice na chapa presidencial de Dilma. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2010Henrique MeirellesPMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.