Meio-irmão do presidente Lula deixa a UTI

Irmão por parte de pai do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, João Inácio da Silva Neto, conhecido como Lulinha, deixou nesta segunda-feira a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Câncer, em São Paulo, onde foi submetido a uma cirurgia para a retirada de um tumor do cérebro há dez dias. Aos 41 anos, desempregado, e vivendo com a recente perda da mãe, Valdomira Ferreira Goes - segunda mulher de Aristides, pai do presidente Lula -, João Inácio teve de enfrentar uma drama que se arrasta desde de 3 abril. Foi quando ele se dirigiu a uma unidade municipal de saúde no Guarujá, onde mora, sentindo fortes dores no ouvido esquerdo. Examinado e medicado, João Inácio voltou para casa, mas as dores não passaram. Numa nova consulta, no dia 11 de maio, o médico pediu uma tomografia. O exame foi feito em 21 de junho, no Hospital Santo Amaro, quase três meses após a consulta inicial. Em sete dias, com o resultado do exame, os médicos do hospital viram que o caso era grave e não poderia ser tratado ali. Os parentes de João Inácio no Guarujá, então, acionaram José Ferreira da Silva, o Frei Chico, irmão de Lula que costuma resolver os problemas da família. Freio Chico recorreu ao vice-prefeito de Guarujá, Manoel Ramos, que já tinha ajudado, um ano antes, a cuidar dos problemas de saúde da mãe de João Inácio. O meio-irmão do presidente, enfim, foi transferido para o Cema, um centro de tratamento de doenças de ouvido em São Paulo. Lá, foi submetido a uma primeira cirurgia. Em estado grave, acabou no Hospital do Câncer, para a retirada total do tumor. A cirurgia foi feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O vaivém foi acompanhado de Brasília pelo assessor da Presidência Gilberto Carvalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.