Médicos Sem Fronteiras nega ida para o Peru

A organização internacional Médicos Sem Fronteiras confirmou hoje que deixará o Brasil, onde atuou por mais de uma década em comunidades indígenas na Amazônia. Mas esclareceu que a organização não deixa o Brasil para instalar-se no Peru. "Atualmente, Médicos Sem Fronteiras não tem atividades no Peru", afirmou o coordenador-geral da organização, David Kaisel.Kaisel ressaltou ainda que a Médicos Sem Fronteira não sofreu "nenhuma discriminação particular" nem foi espionada pelos militares durante o período em que atuou no Brasil, apesar de organizações estrangeiras, de um modo geral, serem vistas com desconfiança no País.O coordenador disse ter conhecimento de "notícias de que ONGs internacionais estiveram sujeitas a espionagem há algum tempo". Mas enfatizou que a Médicos Sem Fronteira não foi alvo disso. No balanço que fez sobre a atividade no Brasil, Kaisel ressaltou que a organização sempre trabalhou "em parceria com comunidades e organizações locais, regionais e nacionais, com espírito de colaboração e interesse mútuo". A parceria com o Ministério da Saúde, segundo ele, resultou na "definição e implantação de um sistema diferenciado de saúde indígena".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.