Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Médicos retiram sedativos de Marisa Letícia; estado de saúde continua grave

Ex-primeira-dama, que sofreu um AVC em 24 de janeiro, está na UTI; médico da família, Roberto Kalil Filho afirma que avaliação da extensão de possíveis danos será possível apenas a partir da terça-feira, 7

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2017 | 16h29

Os médicos do hospital Sírio-Libanês suspenderam nesta quarta-feira, 1, os sedativos da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, internada desde o dia 24 de janeiro após ter sofrido um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

De acordo com o médico particular da família, Roberto Kalil Filho, o estado da esposa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua grave e uma avaliação mais completa sobre a extensão dos possíveis danos causados pelo AVC será possível apenas a partir da próxima terça-feira, 7.

Segundo Kalil, a ex-primeira-dama vem sofrendo oscilações e espasmos vasocerebrais "normais" em uma situação como a dela. "Ela tem várias flutuações ao longo do dia. É grande o edema. Teoricamente após duas semanas começa reduzir", disse Kalil.

Marisa Letícia sofreu um AVC devido ao rompimento de um edema cerebral detectado há mais de 10 anos. Ela está na Unidade de Tratamento Intensivo do hospital Sírio-Libanês e desde então está em coma induzido provocado pelos sedativos. Segundo Kalil, ainda não é possível dizer que ela saiu do coma porque, embora os medicamentos tenham sido suspensos, levam algum para sair do organismo.

De acordo com o médico, Marisa continua com um catéter que mede a pressão craniana e tem sido submetida rotineiramente a tomografias. "É uma paciente que está na UTI e ainda continua em um estado delicado", disse Kalil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.