Médicos mineiros protestam contra planos de saúde

Médicos mineiros participaram no início da noite desta segunda-feira de um ato público cobrando a adoção, por parte das operadoras de planos de saúde, da tabela da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), que atualiza a remuneração e incorpora novos procedimentos profissionais. De acordo com a Associação Médica de Minas Gerais, cerca de 80 profissionais participaram do ato, que antecedeu a uma assembléia da categoria. Os médicos se reuniram na Praça da Liberdade, zona sul da capital. Com faixas e bandeiras, eles fizeram uma passeata até a sede da associação, na região central da cidade. ?Essa manifestação visa divulgar para a sociedade o que é a nossa luta. Para alguns segmentos fica parecendo que trata-se de uma reivindicação por aumento de salário, mas isso (CBHPM) é um documento ue melhora muito a relação médico-paciente, que os planos de saúde tentam, sistematicamente, contrapor?, disse Castinaldo Bastos Santos, presidente da associação. Os médicos mineiros já decidiram atender aos usuários somente pelo sistema de reembolso, no qual o cliente paga o preço solicitado pela consulta e depois reivindica a devolução do dinheiro junto às seguradoras. A orientação é para que os profissionais cobrem um valor médio de R$ 42 pela consulta de clientes das operadoras de seguros de saúde. ?Chegamos a uma situação de insustentabilidade?, afirma Castinaldo Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.