Médicos e família decidem que Alencar não vai à posse

A contragosto, o vice-presidente José Alencar informou por volta das 14h que não comparecerá à cerimônia de posse da presidente eleita Dilma Rousseff, na tarde de hoje, em Brasília. O próprio Alencar comunicou a decisão os jornalistas que estavam na porta do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele terá a "sua cerimônia de despedida improvisada" do cargo.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

01 de janeiro de 2011 | 14h24

O vice-presidente disse que a Presidência da República organizou a sua viagem para Brasília às 13h de hoje, mas, de última hora, ele decidiu acatar a recomendação de médicos e familiares para permanecer no hospital porque a viagem poderia trazer riscos. "Os médicos ponderaram e concluíram que seria uma temeridade", explicou Alencar.

Marisa teria dito que sua esposa, Marisa, afirmou que não teria sentido sua ida à Brasília. Se Alencar viajasse, iria acompanhado de uma equipe médica, preparada para monitorá-lo durante todo trajeto. "Eu não paro de pé, estou exaurido", admitiu. "Os medicamentos me exauriram." Alencar permaneceu sentado durante toda a conversa com os jornalistas.

Na cerimônia improvisada no quarto do hospital, Alencar estava vestido com o terno que usaria na cerimônia de posse e tinha boa aparência. Ele disse que tem, ao deixar o cargo, o sentimento de dever cumprido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.