Médicos descartam cirurgia em Covas

O infectologista David Uip, médico do governador licenciado Mário Covas, descartou a possibilidade de cirurgia no atual quadro clínico do paciente. "Os hematologistas, optaram pela anticoagulação por via parenteral, descartando nesse momento qualquer processo cirúrgico", afirmou. Segundo o médico, a diabete do governador, além de atrapalhar a recuperação, pode ter sido um dos fatores desencadeantes da trombose na perna direita de Covas. "Ele vinha usando corticóides e isso, somado ao processo infeccioso, deve ter descompensado a diabete, que é um fator que facilita a trombose", observou. O governador Mário Covas, que está internado desde ontem à noite, no Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, foi transferido para o quarto esta manhã e deve permanecer no hospital pelo menos até a próxima segunda-feira. Um novo boletim médico deve ser divulgado somente amanhã, a partir do meio-dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.