Médicos decidem antecipar exames de Alencar em SP

O presidente da República em exercício, José Alencar, chegou nesta tarde ao Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, sentindo "muitas dores". Alencar deixou a instituição médica na última segunda-feira, quando sentia dores abdominais ocasionadas pela obstrução de parte de seu intestino. Na manhã de hoje, o presidente em exercício decidiu antecipar a sua volta à instituição, marcada para ocorrer amanhã. "Eu senti dor no estômago e no abdômen. Muita dor. Isso foi ontem à noite. Hoje de manhã fui medicado, melhorei e dei expediente normal, mas falei com o doutor Paulo (Hoff) e ele achou que devia vir para cá", disse Alencar, ao chegar ao hospital.

ANNE WARTH, Agencia Estado

08 de julho de 2009 | 17h34

O presidente em exercício explicou que fará uma série de exames ainda hoje, incluindo tomografia e ressonância magnética. "Amanhã é feriado em São Paulo. Então eu teria de vir de qualquer maneira, mas não poderia fazer os exames de imagem porque nem todas as dependências do hospital funcionarão. O doutor Paulo (Hoff) achou que deveria antecipar", afirmou. "Seja o que Deus quiser", acrescentou o Alencar.

Alencar luta contra o câncer há 12 anos. Em 25 de janeiro, o vice-presidente submeteu-se à mais radical intervenção desde a descoberta da doença. Em uma cirurgia de alto risco, com duração de 18 horas, os médicos retiraram tumores do abdome do paciente. Ele ficou 27 dias internado, nove deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em 12 de maio, exames de acompanhamento mostraram a volta de tumores na região abdominal. Alencar resolveu então submeter-se a um tratamento experimental nos Estados Unidos.

Na semana passada, o vice-presidente internou-se mais uma vez no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, após sentir fortes dores, resultado de uma obstrução intestinal. Ele recebeu alta na última segunda-feira e pretendia retornar a São Paulo amanhã, para exames, mas voltou a sentir dores e antecipou a vinda.

Tudo o que sabemos sobre:
AlencarinternaçãoSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.