Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Médicos decidem adiar alta do governador Pezão

A equipe justificou a mudança de data com a necessidade de controle clínico da glicemia do paciente

Alfredo Mergulhão, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2016 | 11h21

Rio de Janeiro - O governador licenciado do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), teve a alta adiada por decisão do corpo médico, na manhã desta quarta-feira, 30. A equipe que cuida de Pezão justificou a mudança de data com a necessidade de controle clínico da glicemia do paciente. A expectativa é de que ele seja liberado na quinta-feira. Pezão está internado desde o dia 12 de março no Hospital Pro-Cardiaco, em Botafogo, na zona sul do Rio. Ele foi diagnosticado com um tipo raro de câncer, chamado linfoma não-Hodgkin.

"Ele está em ótimo estado geral, evoluindo satisfatoriamente. A única questão ainda é o controle clínico da glicemia. As medicações que o governador utilizou na quimioterapia são drogas causam uma variação nos níveis de glicose no sangue e isto está sendo controlado", explicou o oncologista Daniel Tabak.

Pezão vem tomando insulina para controlar a glicemial associada com outros medicamentos contra o câncer. Segundo o médico, parte da medicação é dada por via subcutânea e precisa ser convertida para via oral. Tabak afirmou que esse processo está sendo feito de maneira "extremamente cuidadosa" porque existem remédios que interferem na imunidade do organismo. Ele precisa sair em condições ideais e a gente acredita que mais um dia (internado) vai ser necessário para que esse controle seja feito e ele vá para casa sem nenhuma intercorrência", disse.

Por volta das 10h, Pezão recebeu a visita do seu vice, Francisco Dornelles, que está no exercício do governo durante os 30 dias de licença médica. Após cerca de 30 minutos com o paciente, Dornelles deixou o hospital afirmando que Pezão está bem e fazendo ligações. Questionado se recebeu alguma recomendação, Dornelles disse que elas não são necessárias. "Eu já sei todas e sigo a risca", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.