Médicos alertam para "síndrome da classe econômica"

A partir desta sexta-feira, a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular vai distribuir, nos dez principais aeroportos brasileiros, panfletos alertando para o risco de trombose venosa (formação de coágulos nas veias) durante viagens longas. A sociedade deve ainda preparar vídeos para as empresas áreas veicularem durante os vôos. O mal, conhecido como "síndrome da classe econômica", ficou conhecido no ano passado, depois da morte da inglesa Emma Christoffersen, de 28 anos, que viajara da Austrália para a Inglaterra. Segundo o cirurgião cardiovascular Jacson Caiafa, que coordena a campanha de prevenção à doença, a trombose ataca quem fica sentado por muitas horas. "O risco não é só para quem viaja de avião, mas também de ônibus e carro", explicou. Por isso, o médico pretende estender a distribuição dos folhetos às rodoviárias e aos caminhoneiros. A trombose venosa pode evoluir para embolia pulmonar, que é o entupimento de veias dos pulmões. "O coágulo, que normalmente começa na perna, pode se movimentar e chegar aos pulmões. Se muitas veias ficarem entupidas, a pessoa morre", disse Caiafa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.