Médico quer saber se vinho ou cerveja beneficiariam diabéticos

O endocrinologista Ubiratan Fabres Machado quer provar que o consumo diário de uma taça de vinho ou um copo de cerveja pode beneficiar diabéticos. Até agora, só constatou que o álcool melhora o controle da glicose no sangue em ratos de laboratório. Ele apresentará resultados desta pesquisa, que realizou por dois anos no Instituto de Ciências Biomédicas da USP, no 25º Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia, marcado para setembro na capital da República.Machado adverte que maiores quantidades de bebida alcóolica são prejudiciais ao diabético. "O consumo de quantidades maiores de álcool deve ser intensamente combatido", defende. Machado sequer recomenda a diabéticos o uso leve de bebidas alcóolicas, enquanto não confirmar a tese de que o produto pode realmente melhorar a eficiência da insulina em seres humanos, a exemplo do que ocorreu com ratos normais e obesos no laboratório da USP. Nos animais, pequenas quantidades diárias de álcool aumentaram a ação da insulina no fígado e no tecido adiposo, diretamente afetados pelo excesso de glicose no organismo. O trabalho coordenado por Machado contou com a participação de outros cinco pesquisadores e estudantes de pós-graduação. O endocrinologista afirma que, no mundo, há outras pesquisas semelhantes sendo realizadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.