Médico e empresário são presos por contrabando de anabolizante

A Polícia Federal (PF) prendeu na noite de terça-feira, no aeroporto internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, um médico e um empresário acusados de contrabandear 4.800 ampolas de anabolizantes. A mercadoria havia chegado ao País como bagagem desacompanhada vinda da Espanha, há um mês. O medicamento estava armazenado em três caixas.Na segunda-feira, o empresário Sandy Estevam, de 29 anos, foi ao aeroporto retirar a encomenda. Ele foi informado que deveria justificar a compra para a liberação, por causa do grande número de anabolizantes. No dia seguinte, o empresário voltou ao aeroporto acompanhado do médico anestesista Francisco Antônio Duarte Júnior, de 40 anos. Os dois apresentaram um exame - uma densitometria óssea - e duas receitas médicas para que pacientes utilizassem os anabolizantes. Segundo o porta-voz da PF, delegado Gilberto Tadeu, enquanto a bula do medicamento estipula uma ampola a cada três semanas, as receitas prescreviam três por dia, por paciente. Desconfiados, os agentes da PF entraram em contato com o laboratório que teria realizado o suposto exame e descobriram que ele era falso. O empresário e o médico foram presos em flagrante por contrabando. A pena para este tipo de crime é de 1 a 5 anos. Os acusados podem responder em liberdade após pagamento de fiança, a ser fixada pela Justiça Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.