Agência Estado
Agência Estado

Médico diz que José Alencar deve deixar UTI neste sábado

Vice, que luta há 12 anos contra o câncer, passou pela 14ª intervenção cirúrgica; Lula vai visitá-lo nesta 6ª

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

10 de julho de 2009 | 12h00

O presidente em exercício, José Alencar, deve deixar neste sábado, 11, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e deve receber a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta sexta-feira à noite. De acordo com o médico Roberto Kalil Filho, um dos coordenadores do tratamento de Alencar, o paciente, que acordou bem disposto e passa bem, deve ser levado para unidade semi-intensiva.

 

Kalil Filho prevê que Alencar fique internado por pelo menos uma semana. Ele passou ontem por uma cirurgia de seis horas para desobstrução do intestino e retirada de dez tumores da região. Foi a 14ª operação pela qual passou Alencar, que luta contra o câncer há 12 anos.

 

Segundo o chefe de gabinete de Alencar, Adriano Silva, o primeiro pedido do vice nesta manhã foi que ligassem a televisão para que pudesse ver notícias sobre seu estado de saúde nos jornais. Também pela manhã, Alencar conversou pelo telefone com o chefe de gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho. "Ele queria saber de tudo, de como estava o País", disse Silva.

 

Lula, que estava na Itália para a reunião do G-8, já embarcou rumo ao Brasil. O avião presidencial fará uma escala em Natal (RN) e deve chegar à capital paulista no início da noite.

 

Em 25 de janeiro, Alencar submeteu-se à mais radical intervenção desde a descoberta da doença. Em uma cirurgia de alto risco, com duração de 18 horas, os médicos retiraram tumores do abdome do paciente. Ele ficou 27 dias internado, nove deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em 12 de maio, exames de acompanhamento mostraram a volta de tumores na região abdominal. Alencar resolver então submeter-se a um tratamento experimental nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
Alencarinternaçãosemi-intensiva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.