REUTERS/Amanda Perobelli
REUTERS/Amanda Perobelli

Médico de Bolsonaro diz que ele pode voltar a ter obstruções intestinais no futuro

Durante uma coletiva de imprensa, Macedo explicou que não foi necessário operar Bolsonaro porque o estômago respondeu bem ao uso da sonda nasogástrica

Por Matheus de Souza, Iander Porcella e Vinícius Alves, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2022 | 11h25

São Paulo, 05/01/2022 - O médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, que acompanha o quadro de saúde do presidente Jair Bolsonaro (PL) desde que ele sofreu a facada em 2018, durante a campanha eleitoral, afirmou que o chefe do Executivo pode voltar a ter obstruções intestinais no futuro. 

Durante uma coletiva de imprensa no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, após o presidente receber alta, Macedo disse que não foi necessário operar Bolsonaro porque o estômago respondeu bem ao uso da sonda nasogástrica. O profissional afirmou que a operação poderia acarretar novas complicações no quadro de saúde “Vamos conseguir nos próximos 20, 30 anos manter [Bolsonaro] desse jeito”, disse o médico. 

Macedo afirmou que o presidente está “curado” e “pronto para o trabalho”, após ter ficado dois dias internado no hospital em São Paulo, com obstrução intestinal. Bolsonaro, por sua vez, disse que a vida continua e que “todo mundo vai embora um dia”.

Tudo o que sabemos sobre:
Antônio Luiz MacedoJair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.