Médico com 8 mil cirurgias no currículo diz que Alencar foi o paciente que mais o impressionou

Doutor Ademar Lopes integra a equipe que cuidou do ex-vice-presidente da República

Fausto Macedo, de O Estado de S. Paulo

29 de março de 2011 | 17h20

Ademar Lopes, 64 anos, 37 de oncologia, mais de 8 mil cirurgias no currículo e o paciente que mais o impressionou chama-se José Alencar. "Realmente um homem lutador, de muita fé", disse o cirurgião, às 16h50 desta terça-feira. Lopes integra a equipe médica que cuidou do ex-vice presidente durante esses anos todos de batalha contra o câncer.

 

Veja também:

link Políticos e personalidades lamentam morte de Alencar

link Empresário, Alencar lutou por juros mais baixos

link Leia entrevista de Alencar ao 'Estado'

som Ouça entrevistas com o ex-presidente

som Acompanhe a cobertura da Estadão/ESPN ao vivo

especial ESPECIAL: A trajetória de José Alencar

 

Há dois anos e dois meses, o mais longo embate, recorda-se Lopes, foi uma cirurgia que se arrastou por 17 horas e meia no Hospital Sírio-Libanês. Alencar retornara dos EUA, onde uma junta avaliou de extremo risco a cirurgia que Lopes acabou realizando. "Ele (Alencar) foi muito bem esclarecido sobre os altos riscos daquela operação", relata o cirurgião, que atende em atende também nos hospitais AC Camargo, Oswaldo Cruz e Albert Einstein.

 

"A família também foi alertada. Ele aceitou o desafio. Valeu a pena porque viveu mais dois anos com qualidade de vida boa. E não tivesse sido submetido a um procedimento daquela extensão talvez não tivesse vivido até aqui", lembra o médico.

 

Comoveu o doutor Ademar Lopes uma entrevista que Alencar concedeu a imprensa logo após receber alta daquela intervenção tão delicada. "Perguntaram a ele sobre tudo o que havia passado e ele disse que tinha muita pena do povo brasileiro, porque poucos tinham condições de receber um tratamento qualificado", conta Lopes.

 

"Aquilo me impressionou muito.Normalmente o político diz que esta tudo bem, que a saúde no Pais está indo bem. Não é usual um político falar aquilo. Um homem honrado." Lopes guarda na memória o "otimismo sem fim, o homem sorridente, contando os casos dele e com uma vontade muito grande de viver".

 

A última vez que o médico viu o paciente foi há quatro semanas. "Alencar já estava muito abatido, mas ainda otimista", conta Ademar Lopes. "É um cidadão diferente dos demais, nunca vi Jo´se Alencar desanimado", completa o cirurgião.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.