Médica é acusada de trocar consulta por votos no MA

Uma médica foi presa pela Polícia Federal do Maranhão hoje acusada de trocar consultas por votos em quatro candidatos da coligação "O Maranhão não pode parar" - a própria governadora Roseana Sarney (PMDB), dois candidatos que disputam cargos na Assembleia Legislativa, um do PMDB e outro do PTB, e um na Câmara Federal, também do PMDB.

WILSON LIMA, Agência Estado

21 de setembro de 2010 | 21h48

Além da médica, outras duas pessoas foram presas. Uma delas seria a responsável pelo local onde ocorriam as consultas e uma senhora que tinha ido levar a filha para fazer um exame. Outras cinco pessoas foram detidas, mas liberadas à noite.

Na casa onde ocorreram as prisões foram encontrados panfletos (santinhos) com propaganda em favor dos candidatos, títulos de eleitor e medicamentos de uso hospitalar.

Segundo moradores vizinhos à residência, localizada no bairro Recanto dos Vinhais, na zona nobre de São Luís, a casa era uma utilizada como uma espécie de associação de moradores, mas estava caracterizada com cartazes de políticos da coligação "O Maranhão não pode parar". A PF investigava o caso após denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE).

Procurados pela reportagem, os advogados da coligação da governadora Roseana Sarney negaram as acusações de compra de votos relacionadas a candidatos do PMDB ou PTB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.