Média das pesquisas mostra aproximação entre tucano e petista

Diferença entre os dois adversários caiu de 7 para 2 pontos porcentuais desde meados de abril

José Roberto de Toledo / SÃO PAULO - Especial para O Estado de S.Paulo

18 Maio 2010 | 15h51

Na média móvel das pesquisas de intenção de voto as curvas de José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) tendem a se encontrar após a inclusão das sondagens de Vox Populi e Sensus. Ambas as pesquisas apontaram empate técnico entre os pré-candidatos a presidente tucano e petista.

 

 

A diferença média entre os dois primeiros colocados caiu de 7 pontos em meados de abril para 2 pontos agora. Em abril, as pesquisas Ibope e Datafolha haviam apontado um pequeno aumento da vantagem de Serra. As sondagens foram feitas poucos dias após o lançamento da pré-candidatura tucana, que teve grande repercussão na mídia.

 

Agora, o fato novo foi a propaganda partidária do PT. Ela foi veiculada em rede nacional ao longo da semana passada e da anterior, o que pode explicar o crescimento de Dilma.

 

Os spots petistas de 30 segundos foram ao ar no rádio e na TV nos dias 6, 8 e 11 deste mês. E o programa de 10 minutos foi transmitido na noite da última quinta-feira. Em todos eles, Dilma ocupou a maior parte do tempo. Na quinta, fez um jogral com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se desdobrou em elogios à sua candidata e chegou a compará-la ao líder sul-africano Nelson Mandela.

 

Indecisos. Ainda hoje, 6 a cada 10 eleitores não sabem citar espontaneamente um presidenciável que esteja na disputa. Parte desse eleitorado é volúvel e, quando se defronta com um pesquisador que lhe apresenta uma questão sobre a qual ele não havia pensado, sua reação é responder o primeiro nome que lhe vem à cabeça. É o que os pesquisadores chamam de recall. É o que pode ter beneficiado Serra nas pesquisas feitas em abril, e que pode ter alavancado a intenção de voto em Dilma agora.

 

Nas próximas duas semanas será a vez de o DEM veicular sua propaganda. Tudo indica que o partido, aliado do PSDB, deve emprestar sua propaganda no rádio e na TV para Serra. Se isso acontecer e o tucano voltar a se distanciar de Dilma nas pesquisas, será sinal de que o crescimento da petista foi apenas recall. Mas, se Dilma continuar liderando, estará confirmada uma nova tendência na corrida presidencial.

 

Institutos. Como sempre, o cálculo da média móvel das pesquisas levou em conta as três sondagens mais recentemente divulgadas. Entraram no cálculo a pesquisa Ibope cuja coleta de dados terminou no dia 19 de abril, e as pesquisas Vox Populi, concluída na quinta-feira passada, e a do Sensus, cujo último dia de campo foi na sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.