Medeiros nega desvio de recursos ao depor na Câmara

O deputado Luiz Antônio de Medeiros (PL-SP) depôs hoje na Corregedoria-Geral da Câmara. Ele voltou a negar o seu suposto envolvimento no desvio de US$ 2 milhões, obtidos através de doações para criar a Força Sindical. Ele teria enviado tais recursos para uma conta corrente mantida no Commercial Bank de Nova York. O deputado também negou que tenha conta no exterior.Ao deixar o gabinete do corregedor geral, Barbosa Neto (PMDB-GO), Medeiros acusou o governo federal de estar por trás das acusações contra ele. "Achei muito estranho que o ministro Matarazzo (ministro chefe da Secretaria de Comunicação do governo) tenha me ligado hoje de manhã para dizer que o governo não tem interesse no caso", afirmou. O corregedor informou que vai encaminhar ainda hoje convites para o ex-assessor de Medeiros, Wagner Cinchetto, e para presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, para que prestem depoimento, possivelmente, já na próxima semana.Barbosa disse que vai requerer ao Supremo Tribunal Federal (STF) documentos do processo sigiloso que está tramitando sobre o caso. Ele pretende também pedir ao Banco Central (BC) informações sobre a existência de uma possível conta de Medeiros no exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.