MEC vai investir R$ 300 milhões em alfabetização

O governo federal vai investir até o final deste ano R$ 300 milhões na alfabetização de jovens e adultos das regiões Norte e Nordeste e em 386 municípios de outras regiões com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Os investimentos fazem parte do Programa de Apoio a Estados e Municípios para Educação Fundamental de Jovens e Adultos (Recomeço), lançado no ano passado pelo ministro da Educação, Paulo Renato Souza.O ministério editou ontem resolução definindo os critérios das transferências dos recursos aos Estados e municípios que serão contemplados pelo programa Recomeço. A norma prevê que cada município receberá R$ 230,00 por aluno/ano matriculado em cursos supletivos. O dinheiro será repassado diretamente aos municípios, sem a necessidade de convênio ou acordo.Do montante global do programa, um total de R$ 190,4 milhões deverão ser aplicados em municípios do Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins. O restante irá para os municípios com baixo IDH que já foram selecionados pelo Ministério da Educação.O MEC vai apoiar os Estados e municípios com material didático-pedagógico, além de assegurar a continuidade dos estudos dos alunos egressos do Alfabetização Solidária.Segundo o diretor do Departamento de Política de Educação Fundamental do MEC, Walter Tajemoto, a decisão de investir nas áreas de baixo IDH se deu porque é nas áreas dos bolsões de pobreza onde estão os maiores contingentes de analfabetos. A idéia do MEC com a execução do Recomeço é diminuir os índices de analfabetismo e incentivar os alfabetizados a prosseguir os estudos.Programa - O programa Recomeço será uma complementação das ações do Alfabetização Solidária, iniciado em 1997 em 38 municípios das regiões Norte e Nordeste com maiores índices de analfabetismo. Naquele ano, o programa atendeu 9,2 mil alunos com o apoio de 38 universidades. Hoje, o Alfabetização Solidária já atendeu 1,5 milhão de alunos e conta com a participação de 180 instituições de ensino superior, além de 80 empresas públicas.Levantamentos do MEC indicam que, nos últimos cinco anos houve um crescimento de matrículas de jovens e adultos nos Estados com baixo índice de IDH. Na região Norte o aumento atingiu 90,9%, totalizando 82 mil novos alunos matriculados, e no Nordeste, foram matriculados 340 mil jovens e adultos no ano passado. Até 1996, a taxa de analfabetos maiores de 15 anos era de 14,1% ante aos 33,6% na década de 70.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.