MEC reprova 154 livros por erros e preconceito

Experimentos que trazem risco de vida aos estudantes, erros de informação, preconceitos e a violação do Estatuto da Criança e do Adolescente, entre outros problemas, levaram o Ministério da Educação (MEC) a reprovar 154 livros didáticos de 5.ª a 8.ª série. Todos foram excluídos da lista de compras do governo, disponível na Internet. Até 1.º de junho, as escolas públicas deverão informar quais títulos desejam receber para uso no próximo ano.No volume de 5.ª série da coleção Ciências (Editora Scipione), a equipe de avaliação apontou risco de vida aos alunos, numa experiência com energia elétrica. "Como não há resistor no circuito para reduzir a corrente, haverá possibilidade de choque elétrico com correntes elevadíssimas, colocando a vida do aluno e/ou professor em perigo", diz o parecer técnico.A legenda de uma foto na coleção ?A Terra em Estudo: A Geografia em Questão? (Editora do Brasil), no volume de 7.ª série, indica o Palácio do Planalto, enquanto a imagem mostra o Congresso Nacional. Já a coleção Idéias em Contexto - Língua Portuguesa (Editora do Brasil) considera filhos ilegítimos como uma das causas da pobreza. "É simplista relacionar pobreza com o nascimento de crianças fora do casamento convencional", diz o parecer técnico.Apesar de excluídos do Guia de Livros Didáticos do MEC, os títulos estão disponíveis no mercado e são usados em escolas particulares. A avaliação foi feita por quatro universidades públicas, aprovando 260 obras, de 65 coleções - cada coleção contém um volume por série. Apenas 4 coleções ganharam nota máxima (3 estrelas), enquanto 18 ficaram em posição intermediária (2 estrelas) e 43 receberam ressalvas (1 estrela).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.