Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

'Me preocupa um ex-presidente da República ser conduzido debaixo de vara', diz ministro do STF

Marco Aurélio Mello criticou a condução coercitiva de Lula pela PF, mas afirmou que isso não prejudica a legitimidade das investigações

Gustavo Aguiar, O Estado de S.Paulo

04 de março de 2016 | 19h38

BRASÍLIA - O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), demostrou preocupação com a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta sexta-feira, 4, para prestar depoimento à Polícia Federal no âmbito das investigações da Operação Lava Jato. “Me preocupa um ex-presidente da República ser conduzido debaixo de vara”, disse.

Embora o Ministério Público Federal tenha solicitado os mandados, autorizados pela Justiça Federal, o ministro afirmou que a Polícia Federal deveria ter “observado os parâmetros normais” e intimado Lula a prestar depoimento em vez de levá-lo contra sua vontade. “Um ex-presidente da República, sem ter oposto resistência física, ser conduzido coercitivamente revela em que ponto nós estamos. A coisa chegou ao extremo”, afirmou Mello.

Apesar disso, o ministro disse que a condução coercitiva de Lula não prejudica a legitimidade das investigações. “O depoimento do ex-presidente é uma fase embrionária da operação. Espero que tudo seja esclarecido. Se alguém cometeu desvio de conduta, que pague por esse desvio.”

Mello defendeu, no entanto, o respeito à ordem jurídica. “Esse é o preço módico que pagamos por viver em um Estado democrático de direito. Não se avança culturalmente sem isso”.

A 24ª da Operação Lava Jato, que tem como principal alvo o ex-presidente, é, para Mello, a prova de que não há ninguém acima da lei. “O Supremo já havia diplomado isso no julgamento do mensalão. Todos estão submetidos às leis vigentes no País”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.