ALEX SILVA/ESTADÃO
ALEX SILVA/ESTADÃO

MBL desiste de ato com telão na Paulista para julgamento de Lula

Segundo o movimento, acessório poderia atrapalhar o 'fluxo de trânsito das pessoas'

Marianna Holanda, O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2018 | 11h46

O Movimento Brasil Livre (MBL) desistiu de instalar um telão na Avenida Paulista para transmitir o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no próximo dia 24. Um dos grupos que lideraram as manifestações pelo impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff, o MBL alega que o telão poderia atrapalhar o “fluxo de trânsito das pessoas”, já que o julgamento está marcado para começar às 8h30 de terça-feira.

+++ Atos a favor de Lula põem Exército ‘em alerta’

+++ Entenda como Lula vai ser julgado no Tribunal da Lava Jato

O Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) vai julgar o recurso do petista no caso do triplex, em que foi condenado a 9 anos e meio de prisão pelo juiz federal Sérgio Moro, por corrupção e lavagem de dinheiro. O ex-presidente nega as acusações.

+++ MST pretende realizar atos pelo País no julgamento de Lula

“Não queremos fazer mais na (Avenida) Paulista para não atrapalhar o fluxo de pessoas”, disse um dos líderes do movimento, Pedro Ferreira. “Isso não significa que a gente desistiu do evento. Apenas vamos mudar o lugar.”

Outro grupo pró-impeachment de Dilma marcou um “Ato em Defesa da Justiça” na Avenida Paulista. O Vem Pra Rua (VPR) convocou uma manifestação para as 18h em São Paulo e disse que outras cidades estão se organizando, sem divulgar ainda quais.

+++ Vem pra Rua diz que condenação de Lula ‘será o maior símbolo do fim da impunidade’

“A confirmação da condenação em Segunda Instância do ex-presidente Lula, pelo TRF-4, no dia 24 de janeiro de 2018, será o maior símbolo do fim da impunidade no Brasil, atestando que a Justiça no país, de fato, funciona igualmente para todos, independentemente de cargo, influência, poder ou dinheiro”, diz a nota do VPR. Na capital paulista, o evento será em frente do prédio do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF-3), na Paulista.

+++ Jungmann é contra Exército em Porto Alegre para julgamento de Lula

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.