Mau tempo obriga Dilma a cancelar agenda no Paraná

A pouca visibilidade provocada pelo mau tempo impediu que a presidente Dilma Rousseff pudesse comparecer à solenidade de lançamento oficial do Plano Safra da Agricultura Familiar, que aconteceria às 14h30 desta tarde em Francisco Beltrão, a cerca de 460 quilômetros de Curitiba, no sudoeste do Paraná. A presidente definiu que o evento será realizado no próximo dia 12.

EVANDRO FADEL, Agência Estado

01 de julho de 2011 | 12h45

De acordo com pessoas ligadas ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), a presidente havia insistido em se deslocar até Chapecó (SC), no oeste de Santa Catarina, com o avião presidencial, e, de lá, fazer os 180 quilômetros até Francisco Beltrão em um helicóptero, como estava previsto. No entanto, ela foi desaconselhada pela segurança. "Ela já estava colocando os sapatos para viajar e insistiu", disse um assessor do ministério. A última vez em que um presidente da República esteve na região sudoeste do Paraná foi em 1962, quando João Goulart regularizou terras de colonos em Pato Branco, município próximo a Francisco Beltrão.

A previsão dos organizadores do evento, que se realizaria no Ginásio de Esportes Arrudão, era de que cerca de oito mil pessoas compareceriam. Para isso, estavam sendo preparados telões do lado de fora, já que internamente cabem quatro mil pessoas. Para o dia 12, a previsão é de que a cerimônia seja realizada no Centro de Convenções, que comporta dez mil pessoas. Segundo assessores da Presidência da República, Dilma destacou que, caso haja previsão de tempo ruim para esse dia, ela se dispõe a ir para uma cidade vizinha e fazer o trajeto de carro até Francisco Beltrão.

O plano safra prevê R$ 16 bilhões nas linhas de custeio, investimento e comercialização do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Uma das novidades é a redução de 4% para 2% na taxa de juros máxima cobrada nas operações de investimento e a inclusão da taxa de 1% para operações do Mais Alimentos de até R$ 10 mil por ano por agricultor. O limite de financiamento de contratos para investimento foi ampliado de R$ 50 mil para até R$ 130 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.