Mau tempo livra Lula de manifestação contra reforma

A polícia teve trabalho hoje com cerca de 300 servidores que tentaram se aproximar do estaleiro de Itajaí, no litoral catarinense, onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva era aguardado para o lançamento ao mar do navio gaseiro Metaltanque VI. Os momentos de tensão e de iminente confronto entre manifestantes e policiais foram dissipados, no entanto, pelo atraso de quase quatro horas de Lula, que não conseguia chegar ao local pela falta de condições de vôo, causada pelo mau tempo.Enquanto o presidente e sua comitiva aguardavam pela melhora da visibilidade aérea no aeroporto de Florianópolis, os servidores protestavam e gritavam palavras de ordem contra a reforma da Previdência do governo. Com muitos apitos e narizes de palhaço, os manifestantes empunhavam cartazes satirizando a "semelhança" entre Lula e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Um deles mostrava um desenho de um pastor segurando a cabeça do presidente com os dizeres: "Sai de retro, FHC! Abandona este corpo que não te pertence."O momento de maior tensão ocorreu quando quatro servidores tentaram furar o bloqueio dos policiais militares. Houve empurra-empurra, mas eles acabaram detidos e liberados em seguida. Às 13h20, com a melhora do tempo, o presidente e sua comitiva enfim chegaram de helicóptero - o que evitou o encontro com os manifestantes - ao local, onde seria lançado o navio gaseiro Metaltanque VI. A primeira-dama Marisa Letícia da Silva foi convidada para ser a madrinha da embarcação. "Estou muito emocionada. Quero desejar a esse navio uma boa sorte. Não vou nem ler o que puseram aqui no papel", disse ela, antes de apertar o botão que acionou automaticamente a quebra de uma garrafa de champanhe no casco da embarcação.

Agencia Estado,

24 de julho de 2003 | 18h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.