Mau desempenho de PT e DEM abre crise no Estado

Dois grandes partidos nacionais, o PT do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o DEM do prefeito Cesar Maia, entraram em crise no Rio com o mau desempenho de seus candidatos. Embora os concorrentes se recusem a admitir qualquer problema interno e os insatisfeitos aguardem o fim do primeiro turno para tornarem públicas suas insatisfações, nas duas legendas o clima é de revolta. No caso do DEM, os insatisfeitos criticam o que consideraram excesso de centralização, com o prefeito e seu filho, o deputado Rodrigo Maia, controlando as decisões da campanha. Além de presidente nacional do DEM, Rodrigo coordena a campanha de Solange Amaral. Na última pesquisa do Ibope, a candidata oscilou de 5% para 3%.Muitos parlamentares e candidatos do DEM também rejeitam a opção de Cesar Maia por apoiar Marcelo Crivella, do PRB, em eventual segundo turno. Vários democratas anunciam, reservadamente, que ficarão com Eduardo Paes.No PT, os maus resultados do deputado estadual Alessandro Molon nas pesquisas provocaram a reação de petistas como o ministro da Igualdade Racial, Edson Santos, e o prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Faria, que preferiam apoiar a candidatura de Jandira Feghali (PC do B). Molon chegou a fechar uma aliança com o PMDB, mas foi surpreendido pela mudança de estratégia dos peemedebistas, que o deixaram sozinho. Petistas de outros Estados têm criticado a insistência de Molon em manter a candidatura. Na última quinta-feira, o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) chegou a defender que Molon abrisse mão da candidatura em favor de Jandira. Apesar das dificuldades, Solange e Molon programaram intensa programação nas ruas para a última semana de campanha. Zona oeste e centro estão na agenda dos dois. A diferença é que Solange também intensificará o corpo-a-corpo na zona norte e Molon, na zona sul. No clima inverso ao do DEM e do PT, o PSOL comemora o desempenho de Chico Alencar, com 2% no Ibope. "A gente não está tão preocupado com os resultados, mas com a coerência. Fizemos uma campanha limpa, sem depender de empresas com interesses na prefeitura. Isso já é uma baita vitória", diz Chico Alencar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.