Material para casas de sem-terra no RS foi desviado

Parte do material comprado com o dinheiro do Programa de Habitação Rural em Assentamentos do Rio Grande do Sul não foi usada na construção de casas para os sem-terra e acabou no comércio clandestino em municípios da zona sul do Rio Grande do Sul.Apontada por relatórios da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), a irregularidade está sendo investigada pela Secretaria da Reforma Agrária do Rio Grande do Sul.Um depoimento do comerciante Wanderlei Ferreira à Rádio Gaúcha nesta segunda-feira deixou um pouco mais claro o caso que preocupa as autoridades e o próprio Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) há mais de um ano.Ele disse que agricultores assentados na localidade de Nova Querência, em Hulha Negra, receberam o material para construir casas em mutirão e preferiram vender tijolos, areia, cimento e telhas ao comércio regional, embolsando o dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.