Material enviado a Dilma é igual ao publicado, diz jornal

Ministra afirmou que planilha publicada contém a coluna Observações, "que não faz parte dos dados da Casa Civil

Agência Estado,

05 de abril de 2008 | 10h40

O jornal Folha de S. Paulo contestou a declaração feita ontem pela ministra-chefe da Casa civil, Dilma Rousseff, de que o fac-símile da planilha de gastos do governo Fernando Henrique Cardoso enviada pelo jornal para a ministra na véspera da publicação da reportagem sobre o assunto e o material divulgado na edição de ontem eram diferentes. Em reportagem publicada hoje, o jornal sustenta que os documentos são iguais.   Veja Também: Entenda o que é e como funciona o ITI Dilma anuncia auditoria e fala em ação da PF sobre vazamento Tarso admite PF na investigação do vazamento de dados de FHC Dilma volta à berlinda no caso dossiê FHC e cancela agenda  Para 'Economist', Dilma pode ser 'bode na sala' para 2010 Álvaro Dias diz que tudo foi 'armado' Dossiê com dados do ex-presidente FHC  Entenda a crise dos cartões corporativos  Forúm: Quem ganha e quem perde com a CPI? Casa Civil faz 'caça às bruxas' para achar 'espião' do dossiê Oposição vai questionar Dilma sobre dossiê contra FHC em comissão Garibaldi lerá pedido que cria CPI no Senado  Segundo a Folha de S. Paulo, foram enviados à assessoria da Casa Civil "fac-símiles da tela principal do arquivo em Excel, da tela de propriedades do arquivo e uma cópia das planilhas com gastos do governo passado no ano de 2000". Em entrevista coletiva concedida ontem, a ministra afirmou que a planilha publicada contém a coluna Observações, "que não faz parte dos dados da Casa Civil". Segundo a ministra, no lugar desta coluna, a última da planilha, a inscrição é Suprim (Sistema de Suprimento de Fundos). A ministra também disse que havia uma rasura na parte que indicava a hora em que o documento foi salvo pela última vez.Conforme o jornal, da tela com as propriedades do arquivo constam informações como "autor" (PR, de Presidência da República), "salvo por" (Casa Civil), datas e horários em que o documento foi criado, salvo e impresso pela última vez. Segundo a Folha de S. Paulo, para não revelar informações que pudessem levar à identificação da fonte, foram rasurados os horários em que o arquivo foi salvo e impresso pela última vez. "A cópia com a rasura, feita à tinta, foi entregue à assessoria da Casa Civil. O mesmo documento foi publicado pela Folha no dia seguinte, mas a rasura foi substituída pela eliminação digital dos horários. Não há qualquer diferença entre o documento entregue à Casa Civil e o que foi publicado," conforme o jornal.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões Corporativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.