Mateiro lendário ajudará nas buscas no Araguaia

O camponês José Lima de Araújo, o Zé Catingueiro, um dos lendários mateiros do Exército durante a Guerrilha do Araguaia (1972-1975), se dispôs a ajudar a expedição de busca de corpos de pessoas envolvidas no conflito. Por meio de ativistas da área de direitos humanos, ele disse que dará informações que podem ajudar nos trabalhos desenvolvidos pelo grupo de especialistas.No início da semana, Zé Catingueiro esteve na sede da Associação dos Torturados na Guerrilha do Araguaia, uma entidade que reúne 280 camponeses, em São Domingos do Araguaia, uma das localidades que estiveram no fogo cruzado da guerra. Representantes da expedição torcem para que Zé Catingueiro se reúna com o grupo ainda neste sábado. A tentativa de aproximação do ex-guia, que também luta para ser reconhecido como uma vítima do período do conflito entre militares e guerrilheiros, já foi considerada uma vitória por Sezostrys. Paulo Fonteles Filho avalia que é preciso reconhecer e apoiar todos os camponeses envolvidos no episódio, independentemente de que lado estiveram.Zé Catingueiro tem informações relevantes sobre o episódio. Discreto, raramente faz comentários sobre o trabalho de apoio ao Exército e leva uma vida simples. Antes de atuar como guia, Zé Catingueiro foi torturado por um grupo de militares.

Entrevista com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.