Martus defende índice de reajuste do funcionalismo

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Martus Tavares, contestou, ao chegar à Câmara dos Deputados, as críticas feitas às propostas governamentais de reajuste salarial do funconalismo público federal, argumentando que, pela proposta, cerca de 600 mil servidores, ainda não contemplados com reajuste desde 1995, terão seus salários majorados em até 35%. "Ontem, nós apresentamos uma propostra abrangente para o salários dos servidores. O reajuste linear de 3,5% é só uma das medidas", afirmou Tavares. "O que tem que ser compreendido é que estamos dando reajuste de até 35% para cerca de 600 mil servidores integrantes do Plano de Classificação de Cargos (PCC)". Segundo Tavares "a avaliação que estão fazendo não é adequada. Estão olhando só o reajuste linear". O ministro lembrou que, nos últimos sete anos, a política de reajustes diferenciados beneficiou 1 milhão de servidores civis e militares. "Agora, estamos atendendo um universo adicional de cerca de 600 mil", esclareceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.