Marta vira "estrela" do Fórum Social

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), foi uma das vedetes do Fórum Social Mundial nesta sexta-feira. Ela foi muito aplaudida ao sair em defesa dos gastos bancados pelo governo do Rio Grande do Sul no Fórum Social Mundial, criticando, ao mesmo tempo, o presidente Fernando Henrique Cardoso por ter atacado o governador Olívio Dutra (PT) pelas despesas com o encontro."O presidente poderia ter dado parabéns e estado aqui?, afirmou Marta Suplicy. ?Teria sido bem melhor?, acrescentou.Tanto quando foi anunciada como quando concluiu seu discurso em um debate do fórum, Marta Suplicy foi aclamada por mais de 2 mil pessoas que a aplaudiram demoradamente.?Esta globalização excludente traz prejuízos a muitos, mas ela nos obriga a partir dela para impor uma outra lógica?, disse a prefeita, durante debate sobre as experiências administrativas, que teve a participação do ministro francês para a Economia Solidária, Guy Hascoët, e o próprio governador Olívio Dutra.Daniele MitterrandAntes do Fórum, Marta reuniu-se por uma hora, durante almoço, com a ex-primeira dama da França Danielle Mitterrand, presidente da organização em defesa dos direitos humanos ?France Liberté?, no Hotel Plaza Raphael.?A senhora Danielle é extremamente sensível aos problemas dos direitos humanos e sociais?, resumiu a prefeita, sobre a conversa que tratou de problemas brasileiros, como a violência nas grandes cidades e o massacre de Carajás.?Ela achou difícil de acreditar (que todos os acusados foram absolvidos)?, relatou Marta, sobre a impressão da ex-primeira-dama, ao comentar o veredicto do julgamento.Marta estava acompanhada do assessor especial para Assuntos Internacionais, Jorge Mattoso, e do assessor pessoal Luis Favre.A prefeita voltará a conversar com Danielle Mitterrand até domingo, quando retorna a São Paulo. É possível que a prefeitura de São Paulo receba alguma colaboração da organização dirigida pela ex-primeira-dama.A prefeita de São Paulo ponderou que, ao participar do Fórum das Autoridades que reúne mais de uma centena de prefeitos de vários países, terá uma troca de experiência importante.?São Paulo não pode ficar alijada de decisões e cooperações internacionais?, disse, lamentando que os ex-prefeitos não tenham feito isso pela cidade.Classificada de ?a esquerdista prefeita de São Paulo? pelo jornal francês Le Monde, Marta foi uma das estrelas do segundo dia do Fórum Social Mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.