''Marta vai ter votos necessários para ganhar'', diz presidente

Lula não se encontrou com a ex-prefeita no fim de semana, mas, por telefone, ofereceu seu apoio

João Domingos, O Estadao de S.Paulo

06 de outubro de 2008 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro ontem, logo depois de votar em Luiz Marinho (PT) para prefeito de São Bernardo do Campo (SP), que vai ajudar a ex-prefeita Marta Suplicy (PT) no segundo turno da eleição em São Paulo. "Marta vai ter a quantidade de votos necessários para ganhar as eleições no segundo turno", disse.Para ele, o fato de a ex-prefeita travar uma disputa com outros dois candidatos fortes - Gilberto Kassab (DEM) e Geraldo Alckmin (PSDB) - e chegar bem ao segundo turno já é uma mostra de força. E, antes mesmo da abertura das urnas, Lula demonstrava confiança de que Marta chegaria em primeiro lugar. "Obviamente que numa eleição com três candidatos disputando, a Marta sair em primeiro lugar no primeiro turno já é uma coisa extraordinária. Vamos ganhar no segundo turno", repetiu. Lula foi um dos responsáveis pela candidatura de Marta Suplicy à Prefeitura de São Paulo. Depois da derrota dela para José Serra, em 2004, o presidente a aproveitou no Ministério do Turismo. E, quando ela, ao fazer um comentário sobre a crise aérea e os congestionamentos dos aeroportos, deu um conselho desrespeitoso aos prejudicados - "relaxa e goza" -, Lula não a repreendeu. Disse à ministra que a entendia, porque o assunto era "irritante".Quando muitos afirmavam que por causa da frase Marta não mais teria condição de disputar nada, Lula a aconselhou a voltar a concorrer. Segundo auxiliares do presidente, no momento em que Marta ainda pensava se entrava ou não na disputa, Lula chegou a lhe dar conselhos para fazê-lo. O PT tinha outros nomes para apresentar, como o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia, e o senador Aloizio Mercadante. Mas Lula disse que preferia que a candidata fosse Marta.Lula não se encontrou com a ex-prefeita na sua passagem por São Bernardo e Santo André, no fim de semana. Mas conversou com ela por telefone, para lhe dizer que terá todo apoio dele no segundo turno da disputa. Em Santo André, durante uma cerimônia de comemoração pelos 70 anos do Sindicato dos Químicos do ABC, Lula reuniu-se com o senador Eduardo Suplicy, ex-marido de Marta. Pediu para que ele dissesse a ela que terá o apoio dele para o que precisar. E fez uma defesa pública do senador Suplicy. O presidente do Sindicato, Paulo Lage, lembrou que uma das vitórias dos trabalhadores tinha sido o fechamento das Indústrias Matarazzo, acusadas de poluir o meio ambiente com produtos químicos proibidos. "Quero dizer que o senador Eduardo Suplicy não tem nada a ver com o que foi feito pelas indústrias Matarazzo", disse Lula. "Foi o avô dele." FRASESLuiz Inácio Lula da SilvaPresidente"Obviamente que numa eleição com três candidatos disputando, a Marta sair em primeiro lugar no primeiro turno já é uma coisa extraordinária. Vamos ganhar no segundo turno""Eduardo Suplicy não tem nada a ver com o que foi feito pelas indústrias Matarazzo"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.