Marta vai gastar sola de sapato junto com Haddad, diz Edinho

Presidente do PT em São Paulo ironiza declarações da senadora sobre a sugestão dada ao pré-candidato para campanha eleitoral

Daiene Cardoso, da Agência Estado

30 de março de 2012 | 10h49

O presidente do PT no Estado de São Paulo, deputado estadual Edinho Silva, minimizou nesta sexta-feira, 30, as declarações da senadora Marta Suplicy (PT-SP) de que o pré-candidato do partido a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, terá de gastar sola de sapato para conquistar os eleitores. "Ela vai gastar sola e vai dividir o custo do sapato com Haddad", disse o dirigente nesta manhã, em seminário na capital paulista promovido pelo Instituto Lula e pela Fundação Perseu Abramo.

 

Edinho afirmou não ver razões para que Marta entre agora na campanha de Haddad e negou que exista mágoa por parte da senadora. No ano passado, Marta chegou a trabalhar pela indicação do PT para concorrer à Prefeitura de São Paulo, mas desistiu da iniciativa a pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff.

 

"Não acho que seja mágoa, acho que é o jeito de ela se expressar", comentou o deputado, referindo-se às declarações da senadora no Twitter. De acordo com Edinho, a expressão "gastar sola de sapato" é usada frequentemente pelos políticos em campanha eleitoral. "Não tem nada demais na declaração dela", afirmou

 

Diferentemente de Marta, que também afirmou na rede social Twitter que nem todo candidato do PT em São Paulo tem garantido 30% das intenções de voto, como se costuma acreditar no partido, Edinho disse que esse índice de intenção de voto é padrão do partido na cidade.

 

"Todos sabem que o PT tem, no mínimo, 30% dos votos", rebateu. No entanto, Edinho considerou que as pesquisas mais recentes indicam que os candidatos que lideram as sondagens tem apenas "um recall", e não necessariamente a intenção de voto do eleitorado.

 

Lula. O presidente estadual do PT disse ainda que existe um clima de euforia no partido devido à notícia de recuperação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas os militantes sabem, ressalvou, que o ex-presidente precisa ainda de um tempo para consolidar essa recuperação. "Quem o conhece sabe que o Lula é plugado nos 220 volts, mas ele tem de dosar sua participação. Ele certamente estará presente na campanha", afirmou.

 

Na quarta-feira, 28, após se submeter a exames no Hospital Sírio-Libanês, Lula recebeu a notícia de que o tumor na laringe desapareceu. O câncer havia sido diagnosticado em outubro.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
martahaddadcampanha2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.