Marta revela tom de campanha e ataca Serra e Kassab

A ex-ministra Marta Suplicy encerrou ontem a temporada de convenções partidárias e oficializou sua candidatura à Prefeitura de São Paulo nas eleições de outubro, revelando o tom com que pretende abrir a campanha municipal. A cerimônia que custou R$ 85 mil contou com poucas estrelas do partido. Num discurso de cerca de 40 minutos, Marta fez duros ataques ao hoje governador José Serra (PSDB) e ao atual prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM).O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), considerado pelo próprio PT seu maior rival na disputa, foi citado uma única vez por Marta. Serra, que comandou a prefeitura após derrotar Marta nas eleições de 2004, recebeu os golpes principalmente quando a petista falava sobre saúde. Kassab, por sua vez, foi responsabilizado mais uma vez por Marta pela situação deixada pelo antecessor Celso Pitta. Ao lado dela no evento estavam vários deputados, vereadores e dirigentes estaduais e municipais de siglas que a apóiam - PC do B, PDT, PSB, PRB e PTN. Entre lideranças do PT, estavam os senadores Aloizio Mercadante e Eduardo Suplicy, além do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.