Marta reúne-se com ministro francês da Saúde

A prefeita Marta Suplicy, que chegou ontem a Paris para uma visita oficial de uma semana, tratou, em seu primeiro encontro com o Ministro francês da Saúde, Bernard Kouchner, do problema da utilização do amianto na cidade de São Paulo em face do projeto de lei agora aprovado pela Câmara Municipal proibindo o uso do produto. Revelando a O Estado de S. Paulo que está sofrendo "fortes pressões" dos grupos de interesse e dos Estados brasileiros produtores de amianto para vetar o projeto, a prefeita deseja ouvir a opinião do Ministro francês e de seus auxiliares encarregados do assunto. Sem quererem se identificar, assessores de Bernard Kouchner explicaram que tudo o que o Ministro francês poderá dizer é que o amianto foi proibido na França depois de causar numerosas vítimas e, no momento, o governo empreende vasto programa para retirar das estruturas das escolas, universidades, hospitais e demais imóveis públicos qualquer componente incorporando o produto. Ao mesmo tempo, inspetores sanitários fazem o recenseamento das residências particulares com o mesmo objetivo de saneamento. Na audiência com o Ministro francês, a prefeita paulistana apresentou igualmente várias propostas para a cooperação entre a França e a cidade de São Paulo em matéria de saúde. Entre as prioridades, destaca-se o acesso, pelo Serviço de Atendimento Pré-Hospitalar da Prefeitura, às técnicas francesas mais modernas no setor, bem como às formas de administração de tal unidade. A prefeita apontará os casos mais urgentes a serem atendidos em matéria de gestão de emergências, mostrando como essa atividade é desenvolvida pelo Corpo de Bombeiros e pela Secretaria Municipal de Saúde. E lembrará que o governo do Estado já mantém intercâmbio com o Serviço de Ajuda Medica de Urgência (SAMU) da França, podendo tal cooperação ser estendida à capital. Com o Ministro Bernard Kouchner, Marta Suplicy mencionou também os programas de treinamento que a França poderia promover em São Paulo para mais de 40 diretores de distritos de saúde, para administradores de hospitais e 360 gerentes de pequenas unidades de saúde. Educação - A formação profissional de jovens por meio da bolsa-trabalho e o salário-minimo de inserção social estarão entre os temas principais dos encontros que Marta Suplicy manterá amanhã com Ministro da Educação, Jack Lang, e o Ministro do Ensino Profissional, Jean-Luc Mélenchon. A Prefeita deseja obter a cooperação de Paris para a introdução dessas medidas, já que a França é sabidamente um país de vanguarda nesse domínio. Dentro do espirito da cooperação bilateral, ela deseja se inteirar do projeto ora em curso para a renovação dos curríulos nas escolas de ensino fundamental da França, bem como dos critérios para a avaliação dos alunos. "É claro que outros projetos para o intercâmbio estão na ponta da agulha, mas vamos primeiro ver como nossos interlocutores franceses reagem às nossas primeiras propostas", a Prefeita observou. Empresários - Mais de cem industriais e investidores diversos já se inscreveram para o café da manhã que o Movimento dos Empresários Franceses, equivalente no Brasil da Federação Nacional das Industrias (MEDEF) oferecerá amanha à prefeita paulistana. Na ocasião, ela falará da contribuição que sua administração pretende oferecer para o desenvolvimento das atividades produtivas da cidade, paralelamente à tarefa de recuperar, sanear, melhorar a qualidade da vida paulistana. "Os empresários franceses e, em particular, os que já estão implantados em São Paulo, estão muito interessados em saber quais são os planos da Prefeita, para ver como podem ajuda-la a atingir seus objetivos", declarou o presidente do Comitê do Brasil no MEDEF, Bernard Cohen. Indagado se o fato de Marta Suplicy pertencer ao PT não causava algum susto no empresariado francês, ele afirmou: "Nenhum susto. A imagem de dona Marta é muita boa na França. Trata-se de uma mulher inteligente, elegante, culta e aberta ao diálogo. Ela jamais teve um discurso agressivo em relação às empresas, ao mundo liberal que nós defendemos?. Centro - Na audiência de quinta-feira com o Diretor Geral da Unesco, Koichiro Matsuura, Marta Suplicy solicitará o apoio da organização para a restauração do centro de São Paulo. "A UNESCO pode nos oferecer a assistência técnica e recursos, uma vez possui um eficiente serviço de Patrimônio", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.