Marta: Paulinho não será pedra no sapato

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), afirmou há pouco, após lançamento do Programa de Saúde da Família (PSF), que não teme que o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, se transforme em uma pedra no sapato da prefeitura. "Eu acho melhor ele se transformar em uma galocha para os dias de chuva. Isso é, que ele ajude a gente a governar a cidade ao invés de ser uma pedra no sapato", afirmou ela. A Força Sindical estava encabeçando a greve de motoristas de ônibus prevista para ocorrer nesta terça-feira na capital paulista.A paralisação, no entanto, foi suspensa após acordo entre a prefeitura e o Sindicato dos Condutores de São Paulo. Marta e o secretário de Transportes, Carlos Zarattini, estiveram reunidos durante a tarde com o presidente do sindicato, Edivaldo Santiago.Marta disse que a suspensão da greve foi uma demonstração de capacidade de diálogo. "Cheguei aqui (após viagem a Paris) e vi que a situação era essa (ameaça de greve). Aí, chamei as pessoas para conversar", disse ela. Segundo Marta, o entendimento com a categoria não foi fácil. "Todo entendimento vai e volta várias vezes até você conseguir alinhavar", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.